A alta competitividade no mercado de transporte de cargas exige que as empresas encontrem maneiras de se reinventar para se manter no topo. Como forma de ampliar a sua base de clientes e expandir as operações, muitas transportadoras estão aderindo aos conceitos de redespacho, redespacho intermediário e subcontratação.

O que é redespacho?

Em operações de redespacho, a empresa fica responsável por levar a carga até uma parte do trecho. Ela contrata outra transportadora para levar a encomenda ao destino final. A divisão de trabalho acontece da seguinte maneira:

Contratante (ou redespachante): é o responsável pela carga perante ao embarcador e se compromete em entregar a mercadoria ao seu destino final dentro do prazo estabelecido; contratada (ou redespachada): sua ligação é apenas com a empresa que a contratou. Não tem qualquer responsabilidade perante o embarcador.

O que é o redespacho intermediário?

Neste caso, é uma terceira transportadora que faz a parte da operação. Ao contrário do redespacho em que o trajeto era dividido em duas etapas, aqui o sistema funciona em três fases:

Transportadora A coleta os pedidos e percorre um trecho até a cidade em que o intermediário realiza o embarque;

Transportadora B transporta o frete até uma nova cidade;

Transportadora C faz o transporte da última cidade até o destino final no prazo determinado.

Na maioria dos casos, o redespacho intermediário é usado quando a empresa contratada não realiza boa parte do trajeto necessário.

Ao mesmo tempo em que a outra transportadora contratada não realiza parte do percurso, sendo necessário contratar um intermediário que faça a ligação entre ambos os negócios.

O que é a subcontratação?

Também chamada de terceirização, este método acontece quando a transportadora contratada pelo embarcador não consegue realizar o serviço pelos seus recursos próprios.

Para realizar o frete, ela contrata outra empresa para percorrer todo o trajeto, do início ao fim. Neste caso, não há nenhuma divisão de responsabilidade.

Porque aplicar estes métodos nas empresas

As transportadoras utilizam destes métodos para ampliar a sua região de atendimento e se tornar mais competitiva perante ao mercado .Entre as empresas que mais utilizam estes tipos de métodos, podemos destacar os e-commerces que atendem diversas regiões do país.

Este tipo de estratégia melhora os resultados da empresa de transportes contratada. Assim como, fortalece outros negócios ao criar uma rede de parceria.

Vale ressaltar a importância de emitir o CTe (Conhecimento de Transporte Eletrônico) nesse tipo de operação. Além de ser obrigatório, este documento comprova a prestação do serviço de transporte de carga.

Assim como controla todas as informações importantes para o processo, como dados da empresa remetente e peso das cargas.

Saber o que é redespacho, redespacho intermediário e subcontratação contribui para que sua transportadora atue com várias modalidades no mercado e amplie seus negócios.

Para saber como obter mais lucro com a frota de veículos atual, clique aqui e baixe gratuitamente o e-book “8 dicas para manter a eficiência da gestão da sua frota”.