O modal mais popular para o transporte de cargas no Brasil é o rodoviário, e embora o custo-benefício faça valer a pena, algo que ainda deixa (e muito) a desejar é a qualidade das rodovias. De acordo com a Confederação Nacional de Transportes (CNT), quase 15% das rodovias estão em estado considerado ruim ou péssimo e 36,6% em situação regular.

Como estradas ruins impactam sua transportadora

Antes de toda e qualquer entrega é feito um planejamento logístico que analisa as adversidades que possam ser encontradas pelo motorista durante o trajeto. Paradas para abastecimento, distância, pedágios e regras de tráfego de veículos são alguns exemplos de tópicos avaliados.

Em resumo, a roteirização serve principalmente para evitar que algumas situações de riscos alterem o prazo de entregas. Inevitavelmente um dos fatores que impactam diretamente no tempo de entrega de mercadorias são os buracos na pista. Afinal, eles obrigam os motoristas a reduzirem a velocidade durante as viagens.

E como um fator interfere outro, o consumo de combustível fica mais elevado, assim como o desgaste dos pneus. Sendo assim, os pneus e demais componentes do veículo acabam se desgastando antes do tempo previsto.

Periodicamente a CNT realiza pesquisas de mercado, dentre elas a de satisfação com as condições que as rodovias apresentam. E o resultado é de que mais de 60% da população considera as estradas regulares, ruins ou péssimas. Além disso, todos estes fatores interferem no custo das viagens, que podem aumentar em até 25%. Isso sem falar no tempo de entrega e no valor do transporte.

Com o passar dos anos a qualidade das rodovias do país foi diminuindo, assim como o investimento depositado pelo governo para a manutenção das mesmas. Segundo o estudo da CNT, com pouco investimento dificilmente a situação precária das estradas vai melhorar.

Como contornar o impacto

Estradas ruins geram aumento no custo do frete, obrigando as transportadoras a buscarem alternativas para reduzir as tarifas.

Hoje, existem sistemas que buscam caminhos alternativos e trazem métricas sobre cada percurso e desempenho de cada motorista e veículo. Além disso, utilizar um sistema online que controle informações de abastecimento e a vida útil dos pneus é uma ótima opção.

Lembrando também que a manutenção preventiva é que vai garantir que o veículo esteja em perfeitas condições para concluir a entrega sem complicações. Afinal, todos os componentes do veículo são interligados. Sendo assim, é essencial que todos estejam funcionando corretamente.

Resumindo, planeje as melhores rotas considerando as estradas ruins que possa encontrar. E não esqueça de controlar a manutenção do veículo, assim como os pneus e combustível.

Como melhorar a gestão de frotas

Controlar os custos é um grande desafio, principalmente com o preço do combustível altíssimo e as estradas ruins que desgastam excessivamente os pneus.

Hoje em dia, a tecnologia é uma grande aliada para empresas que trabalham com o transporte de cargas.
E o que antes era um diferencial, agora é uma necessidade. Softwares de automação são fundamentais para uma gestão de frotas eficaz.

Com o Controle de Pneus do Frota G, você moderniza o controle da sua frota, identificando as condições de uso, gerenciando a vida útil e controlando reformas e descartes via web. Em poucos cliques, você identifica quais pneus estão com a data de validade prestes a expirar.

Assim como recebe alertas de quando deve calibrar os pneus. Além de saber exatamente em quais caminhões os pneus estão rodando.

O Frota G também oferece um produto de controle de Combustível e um de manutenção, combo completo para simplificar e melhorar a gestão sua frota.

O sistema pode ser acessado de qualquer parte do mundo, é necessário apenas acesso à internet.

Clique aqui para agendar uma demonstração online e sem compromisso de nossas soluções. Descubra com um de nossos especialistas de negócios como você pode reduzir custos.